Psicóloga Eliana Di Sarno

Ray Man

No filme, Tom Cruise interperta um homem que, enquanto partia para um fim de semana de descanso com sua parceira, recebe a notícia de que se pai, com o qual não estabelecia contato há muitos anos, falecera. Mais interessado, devido ao relacionamento de ódio e amargura mantido entre os dois, em receber sua herança do que lamentar a morte de seu genitor, acaba descobrindo que todo o dinheiro, estimado em mais de três milhões de dólares, fora destinado a um portador desconhecido. Para sua surpresa maior, descobre que o homem, na verdade, é seu irmão, um autista que passara a maior parte de sua vida em uma intituição para doentes mentais.

Com a intenção de conseguir metade da generosa quantia , os dois irmãos partem numa viagem pelo país,conhecendo-se e aprendendo as regras de uma convivência sem muitos sobressaltos(o que é difícil). Eles passam por inúmeras dificuldades e protagonizam cenas hilárias.Raymond tem uma memória fabulosa e é imbatível em cálculos matemáticos.Necessita de ações rotineiras para manter o controle.Charlie irrita-se frequentemente com Ray porque não tem paciência para lidar com suas limitações.

Aos poucos,porém,o afeto vai envolvendo Charlie,o laço fraternal se fortalece entre os irmãos e o dinheiro deixa de ser a causa principal e de ter tanta importância

Neste filme encontramos um típico autista adulto , com vários estereótipos , obsessões , limitações , e também super habilidades peculiares a estas pessoas .

O grande mérito do filme acredito, seja a questão ligada a retirada do autista do convívio de seus familiares , dividindo a família , e impossibilitando a riqueza desse relacionamento , desprotegendo o autista.

Todos os direitos reservados à Elaine de Sarno. Powered by Link e Cérebro